img-absenteismo

Descubra como calcular o índice de absenteísmo de sua empresa com rapidez, facilidade e praticidade

Como anda o nível de produtividade de sua empresa? Os funcionários têm batido as metas, trabalhado com dedicação, faltando pouco e chegando no horário? Se você não conseguiu responder a nenhuma dessas perguntas, fique tranquilo: conseguirá em breve.
Hoje falarei sobre absenteísmo, um dos indicadores mais importantes no departamento de RH, capaz de apontar quantas horas de trabalho estão sendo desperdiçadas devido ao número de atrasos, faltas ou saídas – justificados ou não – por parte dos funcionários.
Problemas de saúde, trânsito caótico, demissões na empresa e a perda de entes queridos são alguns dos fatores que contribuem com o absenteísmo – e todos estamos sujeitos a situações como essas.
Mas se um funcionário chega tarde ou não vai ao trabalho com certa frequência, isso pode significar que ele não se sente motivado o suficiente para realizar suas tarefas. Nesse caso, o indicador é muito útil, pois serve como uma espécie de termômetro, ajudando a medir o clima dentro da organização.

Neste artigo você vai descobrir:

– O que é absenteísmo;
– Por que essa ferramenta é importante;
– Como calcular o absenteísmo de sua empresa.
* Também ganhará um presente! 🙂

Como eu posso calcular o absenteísmo de minha empresa?

Diferentemente do que muitos imaginam, calcular o índice de absenteísmo de uma empresa é muito fácil. Primeiramente, leve em consideração que o número de funcionários varia de empresa para empresa, de setor para setor. Logo, não basta apenas somar as horas perdidas para identificar a assiduidade de seus colaboradores.

O impacto de 5 horas negativas em uma equipe pequena, de apenas 10 pessoas, por exemplo, é muito maior do que num time de 100 profissionais. Por isso o absenteísmo deve ser proporcional a quantidade de horas trabalhadas do grupo como um todo. Viu só? Não é tão complexo assim. No exemplo abaixo você confere como é fácil calcular o índice.

>> Primeiro passo

Primeiramente, calcule o total de horas a serem cumpridas pelo time como um todo no período de um mês. Para isso, some a horas de trabalho mensais que cada colaborador trabalharia se não faltasse, se atrasasse ou precisasse sair mais cedo.
Para que você compreenda melhor, usarei como exemplo um time de 100 profissionais. Digamos que cada um desses funcionários trabalhe 8 horas diárias, de segunda à sexta-feira, e que o mês tenha 20 dias úteis.

100 funcionários x 8 horas diárias x 20 dias úteis = 16.000 horas mensais

Agora que você identificou o número ideal de horas trabalhadas por sua equipe durante o mês, guarde esse número. Usaremos ele logo mais. 😉

>> Segundo passo

Agora somaremos as horas referentes às saídas, faltas e atrasos de toda a equipe.
Você precisa transformar “dias” em “horas” para realizar esses cálculos. Digamos que, de acordo com as métricas, as faltas de seus funcionários resultaram em um total de 15 dias. Para chegar ao número correto, multiplique os dias pelas horas trabalhadas, por exemplo:

15 dias faltosos x 8 horas diárias de trabalho = 120 horas perdidas durante o mês

Realize o mesmo processo com os atrasos. Primeiro, some os minutos de todos os atrasos e, depois, transforme-os em horas. Neste mês, por exemplo, 18 funcionários chegaram 20 minutos mais tarde no trabalho.

18 funcionários x 20 minutos = 500 minutos = 6 horas de atraso no mês

Depois, some as horas referente às faltas e as horas referente aos atrasos. O resultado será o total de horas de trabalho perdidas durante o mês.

120 horas de faltas + 32 horas de atrasos = 152 horas perdidas

 

>> Terceiro passo

Agora que você já tem todos os dados necessários, chegou a hora de calcular o absenteísmo. Para isso, pegue o número de horas perdidas e divida pelo número de horas que seus funcionários deveriam trabalhar durante o mês. Depois, multiplique por 100 para obter a porcentagem. Exemplo:

152 horas perdidas ÷ 16.000 horas ideais de trabalho x 100 = 0.95 de absenteísmo

Nosso índice de absenteísmo do mês foi 0.95 – que é um bom número por sinal, levando em conta que a equipe tem 100 funcionários e que imprevistos sempre acontecem. O ideal é que o índice esteja abaixo de 3%.
Viu só como é fácil calcular essa métrica e descobrir o número de horas desperdiçadas em sua empresa?

Mas, para facilitar ainda mais sua rotina de trabalho, tenho uma ótima surpresa:
Estou disponibilizando uma planilha que poupará seu tempo e lhe ajudará a calcular o índice com mais precisão.
Faça o download grátis da ferramenta
Clique no botão para realizar o download do arquivo. Depois, acrescente os dados pedidos pela planilha e a fórmula dará o resultado do absenteísmo para você. No material você também tem acesso a dois gráficos que se modificam automaticamente de acordo com os números. Bem mais prático, não é?

Assista ao vídeo para entender como a planilha funciona!

Assim como o turnover, o absenteísmo também deve ser calculado mensalmente. Assim será mais fácil identificar se o clima no ambiente de trabalho está bom, se algum funcionário está tendo dificuldade para trabalhar com determinado grupo, se não está feliz com a função que exerce e assim por diante.

Espero que você use muito essa planilha e que, com base nesses resultados, você ajude sua empresa a produzir mais e melhor, superando as expectativas, diminuindo o índice de absenteísmo e focando nos resultados. Sucesso! 😉

 

Turnover: será que você está medindo corretamente?

Turnover: você sabe medir este indicador?

Se você acompanha o blog, provavelmente já sabe a importância dos indicadores de RH para avaliar se os projetos, colaboradores e programas oferecidos pela empresa estão de acordo com as estratégias e metas a serem conquistadas. No artigo passado eu expliquei o funcionamento dos sete parâmetros, agora me aprofundo em apenas um deles: no turnover.

Muito conhecido pelo setor de Recursos Humanos, o turnover mede a rotatividade de funcionários e, ao levar em conta o número de demissões e admissões, indica como está a “saúde” da corporação. Uma das dúvidas mais comuns sobre o assunto é se existe uma porcentagem ideal de turnover; um índice ideal de rotatividade. Tudo depende de uma série de elementos: da economia, do número de funcionários, do ramo do negócio…

Para Chiavenato, um dos autores mais conhecidos na área de gestão de pessoas, o bom turnover seria aquele em que a empresa retém os funcionários bons, os talentos, e substitui aqueles que não se adequam à cultura empresarial ou que apresentam distorções de desempenho difíceis de serem alteradas.

Tudo bem, já sabemos que não existe um número ideal, que a taxa pode variar de instituição para instituição; só que o que não pode acontecer é você deixar de medir esse indicador mensalmente.
Sabe aquele ditado antigo: o boi só engorda aos olhos do dono? Pois é, se você não mede o desempenho de sua equipe, se não se preocupa com o número de demissões e admissões, acaba deixando passar detalhes importantes e, assim, não identifica fatores que podem prejudicar sua empresa.

Como calcular o turnover?

Se engana quem pensa que calcular o turnover é difícil. O cálculo desse indicador é muito simples e varia de acordo com as necessidades da empresa, podendo ser aplicado em variados departamentos e linhas de produção, sempre avaliando a taxa de índice aceitável.

Cálculo 1:
((X Entrada + Y Saída ÷ 2) ÷ Total de Funcionários) x 100 = turnover

A base para chegar a taxa de turnover continua essa acima, mas um novo modelo vem sido utilizado recentemente e o próprio Chiavenato o cita em uma de suas obras.

Cálculo 2:
(Y saída ÷ Total de Funcionários) x 100 = turnover

Nessa nova fórmula eliminamos as admissões que podem ocorrer e damos preferência apenas aos cálculos de rotatividade. Porém, quando for preciso identificar as dificuldades em um processo de recrutamento e seleção, por exemplo, o primeiro cálculo continua válido.
Se uma empresa demitiu 30 funcionários em um mês e as mesmas 30 vagas forem fechadas daqui a três meses, as admissões poderão ser maiores do que as dispensas, mudando o resultado final.

Para facilitar, tenho um presente: estou disponibilizando uma ferramenta para que você possa calcular o turnover de sua empresa automaticamente e com muito mais facilidade.

No material você encontra duas abas: uma para calcular as admissões e demissões (primeiro cálculo) e a segunda para calcular apenas as demissões (segundo cálculo), além disso, os dados já são convertidos em um gráfico para que você possa acompanhar a curva constantemente. Basta apenas colocar seus dados e a planilha dará o resultado.

 

Faça o download grátis da ferramenta

 

Bem melhor, não é mesmo? No vídeo eu explico um pouco mais sobre o funcionamento da planilha. 🙂

Para ficar atento:

Geralmente as companhias com taxa de Turnover perto ou maior de 5% devem ficar atentas e rever suas estratégias, pois é como se tivessem trocado praticamente todo o quadro de colaboradores ao longo do ano – o que definitivamente não é sadio. É bem provável que elas estejam com vários problemas quando comparadas às suas concorrentes:
1 – Perda de entendimento e de prática ao realizar os procedimentos de trabalho;
2 – Perda de mercado e negócios;
3 – Perda de capital intelectual;
4 – Perda de conexões com os clientes;
5 – Perda de conhecimento na prática e operação de tecnologias;
6 – Mais gastos e desperdícios.

Os motivos para o turnover estar alto têm a ver com os problemas de relacionamento entre os gerentes e colaboradores; a busca por salários mais altos e benefícios melhores, busca por reconhecimento, falta de desafios, planos de carreiras não tão bem definidos e instabilidades econômicas. E há uma forma de identificar isso antes. Como?

Na ficha de desligamento da empresa, perguntar quais são os motivos que levaram o funcionário a pedir a demissão, assim como em uma entrevista com o RH; verificar o lucro em relação ao custo total de encargos com os colaboradores (ROI); medir o número de profissionais que se desligaram voluntariamente da instituição e quantos foram realocados em outras funções dentro da empresa, por exemplo.

Agora que você já sabe o que é turnover, descobriu o quanto ele é estratégico e importante para sua empresa, espero que você aproveite muito a ferramenta que disponibilizei, que leve esses dados para seus gestores e diretores, discuta com eles e, juntos, pensem em uma forma de melhorar cada vez mais a taxa de turnover da empresa.

Só não se esqueça de medir mês a mês, viu?
Que você faça um bom gerenciamento, que seja cada vez mais assertivo e que o sucesso seja o resultado disso tudo! 😀