Turnover: será que você está medindo corretamente?

Turnover: você sabe medir este indicador?

Se você acompanha o blog, provavelmente já sabe a importância dos indicadores de RH para avaliar se os projetos, colaboradores e programas oferecidos pela empresa estão de acordo com as estratégias e metas a serem conquistadas. No artigo passado eu expliquei o funcionamento dos sete parâmetros, agora me aprofundo em apenas um deles: no turnover.

Muito conhecido pelo setor de Recursos Humanos, o turnover mede a rotatividade de funcionários e, ao levar em conta o número de demissões e admissões, indica como está a “saúde” da corporação. Uma das dúvidas mais comuns sobre o assunto é se existe uma porcentagem ideal de turnover; um índice ideal de rotatividade. Tudo depende de uma série de elementos: da economia, do número de funcionários, do ramo do negócio…

Para Chiavenato, um dos autores mais conhecidos na área de gestão de pessoas, o bom turnover seria aquele em que a empresa retém os funcionários bons, os talentos, e substitui aqueles que não se adequam à cultura empresarial ou que apresentam distorções de desempenho difíceis de serem alteradas.

Tudo bem, já sabemos que não existe um número ideal, que a taxa pode variar de instituição para instituição; só que o que não pode acontecer é você deixar de medir esse indicador mensalmente.
Sabe aquele ditado antigo: o boi só engorda aos olhos do dono? Pois é, se você não mede o desempenho de sua equipe, se não se preocupa com o número de demissões e admissões, acaba deixando passar detalhes importantes e, assim, não identifica fatores que podem prejudicar sua empresa.

Como calcular o turnover?

Se engana quem pensa que calcular o turnover é difícil. O cálculo desse indicador é muito simples e varia de acordo com as necessidades da empresa, podendo ser aplicado em variados departamentos e linhas de produção, sempre avaliando a taxa de índice aceitável.

Cálculo 1:
((X Entrada + Y Saída ÷ 2) ÷ Total de Funcionários) x 100 = turnover

A base para chegar a taxa de turnover continua essa acima, mas um novo modelo vem sido utilizado recentemente e o próprio Chiavenato o cita em uma de suas obras.

Cálculo 2:
(Y saída ÷ Total de Funcionários) x 100 = turnover

Nessa nova fórmula eliminamos as admissões que podem ocorrer e damos preferência apenas aos cálculos de rotatividade. Porém, quando for preciso identificar as dificuldades em um processo de recrutamento e seleção, por exemplo, o primeiro cálculo continua válido.
Se uma empresa demitiu 30 funcionários em um mês e as mesmas 30 vagas forem fechadas daqui a três meses, as admissões poderão ser maiores do que as dispensas, mudando o resultado final.

Para facilitar, tenho um presente: estou disponibilizando uma ferramenta para que você possa calcular o turnover de sua empresa automaticamente e com muito mais facilidade.

No material você encontra duas abas: uma para calcular as admissões e demissões (primeiro cálculo) e a segunda para calcular apenas as demissões (segundo cálculo), além disso, os dados já são convertidos em um gráfico para que você possa acompanhar a curva constantemente. Basta apenas colocar seus dados e a planilha dará o resultado.

 

Faça o download grátis da ferramenta

 

Bem melhor, não é mesmo? No vídeo eu explico um pouco mais sobre o funcionamento da planilha. 🙂

Para ficar atento:

Geralmente as companhias com taxa de Turnover perto ou maior de 5% devem ficar atentas e rever suas estratégias, pois é como se tivessem trocado praticamente todo o quadro de colaboradores ao longo do ano – o que definitivamente não é sadio. É bem provável que elas estejam com vários problemas quando comparadas às suas concorrentes:
1 – Perda de entendimento e de prática ao realizar os procedimentos de trabalho;
2 – Perda de mercado e negócios;
3 – Perda de capital intelectual;
4 – Perda de conexões com os clientes;
5 – Perda de conhecimento na prática e operação de tecnologias;
6 – Mais gastos e desperdícios.

Os motivos para o turnover estar alto têm a ver com os problemas de relacionamento entre os gerentes e colaboradores; a busca por salários mais altos e benefícios melhores, busca por reconhecimento, falta de desafios, planos de carreiras não tão bem definidos e instabilidades econômicas. E há uma forma de identificar isso antes. Como?

Na ficha de desligamento da empresa, perguntar quais são os motivos que levaram o funcionário a pedir a demissão, assim como em uma entrevista com o RH; verificar o lucro em relação ao custo total de encargos com os colaboradores (ROI); medir o número de profissionais que se desligaram voluntariamente da instituição e quantos foram realocados em outras funções dentro da empresa, por exemplo.

Agora que você já sabe o que é turnover, descobriu o quanto ele é estratégico e importante para sua empresa, espero que você aproveite muito a ferramenta que disponibilizei, que leve esses dados para seus gestores e diretores, discuta com eles e, juntos, pensem em uma forma de melhorar cada vez mais a taxa de turnover da empresa.

Só não se esqueça de medir mês a mês, viu?
Que você faça um bom gerenciamento, que seja cada vez mais assertivo e que o sucesso seja o resultado disso tudo! 😀

 

 

 

2 Responses

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *